Conceitos Básicos da Contabilidade – Outro ponto de vista

O conteúdo deste artigo irá tratar dos seguintes assuntos:

  • Contabilidade com Partidas dobradas
  • Contas de balanço e contas de lucros e perdas
  • Exemplo em vendas e distribuição

Contabilidade com partidas dobradas

O principio básico das partidas dobradas na contabilidade significa que toda transação de negócio é lançada em pelo menos duas contas diferentes (e portanto lançada duas vezes). No caso mais simples apenas duas contas são afetadas.

  • Cada transação é lançada em, pelo menos, duas contas distintas.
  • Lançamentos no débito aparecem sempre à esquerda em um balanço.
  • Lançamentos em credito aparecem sempre à direita em um balanço.
  • Total de lançamentos em débito = total de lançamentos em crédito.

Partidas dobradas na contabilidade

É importante a lembrar neste contexto é ‘Débito à Crédito’.

Isto significa que você deve lançar uma transação no lado de débito de uma conta e necessariamente no lado de crédito de outra.

Princípio básico: o total de débitos lançados é sempre o mesmo que total de créditos lançados, desconsiderando o número de contas afetadas.

Contas de balanço e contas de lucros e perdas

Transações de negócio são lançadas em contas contábeis.

Conforme pudemos observar no artigo das ‘Naturezas de cada um dos tipos de conta‘, no sistema contábil de partidas dobradas é possível separar as contas em diferentes tipos básicos de contas, os quais são divididos em dois tipos de contas:

  • Contas da planilha de balanço (contas de propriedade e contas de capitais e clientes) para as quais estoques e cobranças sobre estes estoques são lançadas.
  • Contas de lucros e perdas (contas de despesas e custos e contas de receitas e vendas), para as quais transações que afetam o patrimônio líquido são lançadas.

A seguinte equação básica é aplicada na estrutura de todas as contas:

Saldo inicial + entradas – saídas = fechamento do balanço

No entanto, nas contas básicas acima são diferentes os lados de lançamento de saldo inicial, entradas, saídas e fechamento de balanço.

Contas de balanço

Contas de Lucros e Perdas

Contas de propriedade (Ativo) Contas de capital e cliente (Passivo) Contas de rendimentos (Receitas) Contas de despesas (Despesas)
  • Créditos são lançados no lado débito
  • Débitos são lançados no lado crédito
  • Créditos são lançados no lado crédito
  • Débitos são lançados no lado débito
  • Créditos são lançados no lado crédito
  • Débitos são lançados no lado débito
  • Créditos são lançados no lado débito
  • Débitos são lançados no lado crédito
Exemplos: Ações, fundos líquidos, instituto bancário, contas a receber. Exemplos: contas a pagar. Exemplo: receita de vendas. Exemplo: custo de materiais, diferença de preço.

Exemplo em vendas e distribuição

Ordem do cliente – condições negociadas na venda: 20 unidades a $15 por unidade

Saída de mercadoria: 20 unidades entregues, preço de custo $10 por unidade

Fatura: 20 unidades a $15 por unidade

Entrada em caixa: $300

Saída de mercadoria
Conta Débito Crédito
Despesa:Estoque Produto Acabado:Utilização do material

200

Ativo:Estoque

200

Fatura
Conta Débito Crédito
Ativo:Contas a receber:Cliente comprador

300

Receita:Venda de item a consumidor

300

Entrada em caixa
Conta Débito Crédito
Ativo:Contas a receber:Cliente comprador

300

Ativo:Ativos Atuais:Conta bancária

300

No exemplo de transações em negócio de vendas e distribuição, um documento contábil é criado no momento na criação da fatura da saída de mercadoria.

No ponto de saída de mercadoria, os materiais deixam fisicamente o armazém. Estes resultados são lançados em contas relacionadas a estoque e a valores. Isto significa que o estoque é reduzido e o uso de materiais é aumentado. O lançamento é, portanto, chamado de “Uso de materiais à estoque”.

No ponto de cobrança, recebíveis são acumulados pelo cliente (na sua respectiva conta contábil) e os aumentos são lançados na conta de receita de vendas. O lançamento é chamado “recebíveis à receita de vendas”.

Se o pagamento é efetuado, o valor da conta de contas a receber é reduzido novamente e o montante entrando é lançado em uma conta de banco. O lançamento é chamado de “banco à recebíveis”.

Lançamento de taxas e tributos foram ignorados com o propósito de simplificar o exemplo.

GNUCASH – Múltiplas Moedas (1 de 5)

Este artigo mostrará como configurar suas contas no GNUCASH para usar múltiplas moedas.

Conceitos básicos

O GNUCASH suporta trabalhar com mais de uma centena de moedas, desde o Franco de Andorra até o Dólar do Zimbábue. Por exemplo, você pode ter uma configuração de contas em Euros e outra usando o Dólar de Hong Kong.

Algumas das questões as quais aparecem quando se usa múltiplas moedas são como são feitas as transferências de valores entre contas com moedas diferentes? Como se calcula o valor global quando se misturam contas de moedas? Como relatar negócios com moedas misturadas?

Nota: uma maneira alternativa de gerenciar contas com múltiplas moedas apresentada nas próximas sessões é usar a capacidade presente no GNUCASH de contas comerciais. Esta funcionalidade, a qual foi introduzida no GNUCASH a partir da versão 2.3.14, pode ser habilitada pela aba Contas sob o comando Arquivo > Propriedades.

Existe um tutorial completo que ensina como se trabalhar com múltiplas moedas e pode ser encontrado em http://www.mathstat.dal.ca/~selinger/accounting/tutorial.html (será futuro de futuros artigos aqui do blog).

Configuração das contas

A moeda padrão é determinada na aba Conta sob o menu Editar > Preferências. Você deve configurar este parâmetro corretamente para que seja economizado muito tempo na construção da estrutura de contas.

De forma similar o GNUCASH oferece uma opção de configurar a moeda preferida para apresentar os relatórios (tais como balanços e declarações de recebimentos). Esta opção é denominada Moeda Padrão para Relatórios e está na aba Relatórios na tela de Preferências. Você deverá definir as duas opções se, por exemplo, suas contas são todas em reais brasileiros, mas os relatórios gerados são todos em dólares americanos. Caso contrário o relatório apresentará que não existem dados nas transações ou apenas zeros para o período selecionado.

Quando você cria uma nova conta você tem a opção de definir a commodity. Por exemplo, você pode especificar qualquer uma das centenas de moedas suportadas pelo GNUCASH simplesmente selecionando a partir da lista de moedas commodity.

Como exemplo, vamos configurar um cenário típico de contas bancárias onde se trabalha principalmente em reais brasileiros, mas que também tem uma conta de banco europeu usando a moeda Euro, bem como uma conta bancária em Nova Iorque usando dólares norte-americanos. Assim, Uma estrutura possível para a configuração das três contas bancárias, uma usando a moeda Euro, uma em dólares americanos, e outra em reais do Brasil seria:

  • Ativos (BRL)
    • Ativos atuais (BRL)
      • Banco Brasileiro (BRL)
      • Banco Europeu (EUR)
      • Banco Norte-americano (USD)
  • Patrimônio Líquido
    • Saldos iniciais
      • Real (BRL)
      • Euro (EUR)
      • Dólar (USD)

Nota: a moeda de cada conta é mostrada entre parêntesis.

Neste exemplo trabalharemos mais em real (BRL), todas as contas pais estarão definidas para BRL. Para os totais mostrados na árvore de contas os valores serão sempre convertidos para a moeda de cada conta pai. Note que configuramos três contas de saldos iniciais usadas para contrapartidas das contas bancárias.

Nota: poderia ser usada apenas uma conta de Saldos Iniciais com conversões de moedas para compor os montantes das contas de diferentes moedas. No entanto esta é uma opção mais avançada a qual é explicada no futuro (artigo Compra de um ativo usando moeda estrangeira).

Abaixo vemos o resultado do exemplo o qual iniciamos com os valores de BRL $10.000, USD $10.000 e EUR $10.000 nas três contas do tipo banco. Note que o total das contas pai mostram apenas o valor da moeda das sub contas que contém a mesma moeda definida como padrão. Mais adiante iremos definir taxas de cambio entre as moedas e as contas pai irão calcular o valor convertido para todas as sub contas.

Note a coluna Total(Relatório) sendo mostrada. Isto pode ser configurada a partir da linha de cabeçalho selecionando a seta abaixo e então “Total (BRL)”.

Moedas definidas manualmente

Geralmente quando falamos de moedas entendemos como moedas correntes de governos (mais exatamente moedas definidas por padrões internacionais chamados ISO 4217). O GNUCASH não permite você criar sua própria moeda. Se o desejo é rastrear moedas fora do padrão ISO, é possível usar duas alternativas, dependendo da qual se adapta melhor às necessidades.

Vamos dizer, por exemplo, que você queira controlar e rastrear Milhas de Recompensa, as quais contabilizam quantos pontos de lealdade você recebeu por comprar a partir de um certo negócio. A conta na qual permite rastrear duas Milhas de Recompensa será Ativos:Outro:GrupoLealdadeMilhas.

O primeiro método é definir um novo Título do tipo Fundo Mútuo, chamado Milhas de Recompensa. Isto é bastante simples, ao criar a nova conta GrupoLealdadeMilhas, basta definir o tipo de conta para Ações ou Fundo Mútuo. Clique no botão Selcionar… ao lado do campo Título/moeda e na caixa clique em Nova para definir um novo título do tipo FUND.

Isto não é exatamente uma conta de Ações ou Fundos Mútuos, mas o GNUCASH geralmente deixa você decidir como quer usar. A desvantagem é que você terá que digitar um “preço” para cada operação que envolve as Milhas de Recompensa, porque o GNUCASH precisa descobrir os preços e o valor monetário da Milhas de Recompensa e tratá-las como um de seus ativos.

A segunda maneira é usar uma das moedas “dummy” (falsa) para acompanhar as Milhas de Recompensa. As moedas falsas são “XTS (Código para fins de teste)” e “XXX (Sem moeda)”. Se você usar uma dessas para sua conta GrupoLealdadeMilhas, você pode inserir as transações na conta sem ter de introduzir os preços das ações para cada transação. E, você pode continuar usando as mesmas duas moedas fictícias para acompanhar todos os tipos de quantidades: créditos de telefone pré pago utilizados, e assim por diante. Você pode muito bem imaginar que GnuCash pode ser usado como um hub para todos os tipos de parâmetros pessoais, além de finanças (estoque de produtos acabados, por exemplo).

A desvantagem é que você não pode definir as taxas de câmbio das moedas fictícias para convertê-los em moeda ISO. Se você quiser fazer isso, você realmente deve usar o primeiro método.

No próximo artigo será apresentado em exemplo prático como lançar e atualizar taxas de câmbio entre as moedas. Até lá.

GNUCASH – Controlar Folha de Pagamentos

A folha de pagamento é um registro financeiro de salários, pagamentos líquidos, pagamentos de férias e deduções para um empregado. Este artigo mostra como fazer o rastreamento de folhas de pagamento usando o GNUCASH.

IMPORTANTE: Não é o objetivo do presente artigo a discussão sobre a tributação legal que envolve o pagamento de folha de pagamento, mas sim demonstrar a maneira de manipular estas informações utilizando o sistema. É sempre recomendado que um profissional da área seja consultado para que os procedimentos corretos e aceitos pela lei sejam respeitados.

Conceitos Básicos

Folha de pagamento é basicamente qualquer coisa relacionada a pagamento de benefícios ou dinheiro para um empregado. A folha de pagamento e uma das tarefas mais complexas da contabilidade porque existem muitas maneiras diferentes de contas, pessoas e entidades envolvidas no pagamento de salários.

A folha de pagamento é geralmente contabilizada por uma despesa. Algumas vezes armazenam alguma despesa de folha em uma conta de passivo em curto prazo. Isto é útil para coisas tais como tributos relacionados à folha, os quais devem ser pagos em diferentes tempos a um empregado. O empregado deve ser pago mensalmente enquanto que existem tributos que podem ser pagos em frequências menores. Este artigo apresenta uma metodologia na qual salários de folha são despesas e tributos são armazenados em contas de passivos.

Nota: o GNUCASH não possui um sistema de folha de pagamento integrado. Enquanto são rastreadas informações de despesas de folha no GNUCASH, os cálculos de tributos e deduções devem ser feitos fora do GNUCASH.

Configuração das Contas

A legislação tributária deve ser considerada na configuração das contas. Esta seção apresenta uma estrutura muito simples para pagamento de folha de pagamento.

Assuma que você deve pagar apenas 2 tributos, Tributo1 e Tributo2, e que cada um tem uma parcela de contribuição do empregado e uma do empregador.

O salário do empregado e estes dois tributos são contas de despesas. Os componentes são contas de passivo. As contas de passivo dos tributos são onde você acumula os tributos retidos para todos os seus empregados. Os tributos são pagos mais tarde para os órgãos governais apropriados.

O layout simples para as contas de folha de pagamento:

  • Ativos
    • Conta corrente
  • Passivo
    • Tributo 1 (conta de armazenamento para curto prazo – provisão)
    • Tributo 2 (conta de armazenamento para curto prazo – provisão)
  • Despesas
    • Salários
    • Tributo 1
    • Tributo 2

Nota: resista à tentação de criar uma subconta por empregado para rastrear os salários individuais. Criar uma conta para cada empregado leva a uma grande lista de contas de difícil manipulação. Imagine a estrutura das contas depois de alguns anos e empregados indo e vindo. É muito mais simples manter a folha dos empregados registrada dentro de uma conta simples (Despesas:Salários, por exemplo) e usar um relatório para visualizar as informações dos empregados.

Protocolo

O GNUCASH não tem um sistema integrado de folha de pagamento. A aplicação pode rastrear suas despesas de folha de pagamento, mas você precisa desenvolver um procedimento para desempenhar os cálculos de folha fora do GNUCASH, por exemplo, em uma planilha eletrônica. Nesta seção um procedimento será apresentado. Você pode usar este procedimento simples como um modelo.

Passo 1: lista de deduções

O primeiro passo para o procedimento de cálculo de folha é criar uma lista de todos os tributos e deduções possíveis para cada empregado. Cada lançamento deveria incluir as definições e formulas para calcular cada valor. Uma vez que o procedimento de cálculo está estabelecido alterações serão realizadas apenas quando a legislação de folha de pagamentos ou os tributos sofrerem alterações.

No cenário proposto, temos a seguinte lista de variáveis:

  • SAL_BRUTO_E – salário bruto do empregado
  • TRIBUTO1_E – contribuição do empregado para o Tributo 1 (X% de SAL_BRUTO_E)
  • TRIBUTO2_E – contribuição do empregado para o Tributo 2 (X% de SAL_BRUTO_E)
  • TRIBUTO1_C – contribuição da empresa (companhia) para o Tributo 1 (X% de SAL_BRUTO_E)
  • TRIBUTO2_C – contribuição da empresa (companhia) para o Tributo 2 (X% de SAL_BRUTO_E)

Nota: o salário líquido do empregado (SAL_LIQ_E) é definido como SAL_BRUTO_E = TRIBUTO1_E – TRIBUTO2_E e não precisa ser adicionado na lista uma vez que é composto por itens já existentes.

Coloque as formulas para cálculo de cada dedução da lista. Algumas vezes estas fórmulas são um tanto complexas e algumas vezes eles simplesmente dizem “consulte a tabela XYZ de códigos tributários”.

Note que você pode calcular alguns valores interessantes usando as definições acima. Por exemplo, o valor total do custo para a companhia: SAL_BRUTO_E + TRIBUTO1_C + TRIBUTO2_C

Passo 2: criação do mapa de transações

Quando você registra a folha de pagamento no GNUCASH faça com uma simples transação dividida. Esta transação dividida ‘popula’ as contas de despesa e passivo apropriadas. Se você precisa olhar os detalhes da folha de pagamento mais tarde, abra a transação dividida.

Com a lista de deduções acima, um mapa para transação dividida pode ser gerada. Cada destes itens na lista é mapeado para uma conta no GNUCASH.

Tabela 1: mapa de transações

Conta Crédito Débito
Ativos:Conta Corrente SAL_LIQ_E
Despesas:Salários SAL_BRUTO_E
Passivo:Tributo 1 TRIBUTO1_E
Passivo:Tributo 2 TRIBUTO2_E
Despesas:Tributo 1 TRIBUTO1_C
Passivo:Tributo 1 TRIBUTO1_C
Despesa:TRIBUTO 2 TRIBUTO2_C
Passivo:Tributo 2 TRIBUTO2_C

Note que os componentes TRIBUTO1_C e TRIBUTO2_C têm entradas em ambas as contas de passivo e despesa. O componente de cada tributo referente à empresa é despendido na hora do pagamento da folha, mas permanece como passivo até os tributos serem pagos. (pois nesta hora é que há redução da conta de ativo)

Passo 3: pagar o empregado

Vá até a conta na qual o empregado será pago, por exemplo, a conta Ativos:Conta Corrente. Abra uma transação dividida e entre os valores reais usando o Mapa de Transações acima como guia. Repita para todos os empregados.

Dica: este processo manual é tedioso, especialmente se você tem um grande número de empregados.
Use a funcionalidade de duplicar transações existentes no GNUCASH. Isto economiza tempo na criação das transações, pois não é necessário a digitar novamente os lançamentos. Você ainda precisa alterar os montantes de dinheiro para coincidir com valor real da folha de cada empregado, mas sem precisar construir a transação dividida para cada empregado.

Passo 4: pagar o governo

A ação final a fazer é pagar os tributos ao governo. As contas de passivo listam os tributos para os vários órgãos governamentais e periodicamente você precisa enviar um cheque para o governo para pagar estes gastos. Para fazer isso você simplesmente entra com uma transação de duas contas em (por exemplo) sua conta Ativos:Conta Corrente para abater o valor do passivo do tributo. A transação é entre a conta de conta corrente e a de passivo, nenhuma conta de despesa é envolvida. As contas de despesa são cobradas na hora que o passivo do tributo é gravado.

Exemplo

Usando a configuração das contas apresentada anteriormente, vamos explorar um exemplo. Assuma que existem dois empregados (E1 e E2) os quais recebem $1000 por mês como salário bruto. A contribuição do empregado para os Tributo1 e Tributo2 são 10% e 5% respectivamente. A empresa contribui com 15% e 10% sobre o salário bruto dos funcionários.

Começando com $50k no banco e de fazer qualquer pagamento de folha a hierarquia de contas tem a seguinte aparência:

Configuração inicial para a folha de pagamento

Construindo o protocolo

A lista de deduções para o empregado 1 é:

  • SAL_BRUTO_E – salário bruto do empregado – $1000
  • TRIBUTO1_E – contribuição do empregado para o Tributo 1 (X% de SAL_BRUTO_E) – $100
  • TRIBUTO2_E – contribuição do empregado para o Tributo 2 (X% de SAL_BRUTO_E) – $50
  • TRIBUTO1_C – contribuição da empresa (companhia) para o Tributo 1 (X% de SAL_BRUTO_E) – $150
  • TRIBUTO2_C – contribuição da empresa (companhia) para o Tributo 2 (X% de SAL_BRUTO_E) – $100

Tabela 2: mapa de transações para o empregado 1

Conta Crédito Débito
Ativos:Conta Corrente $ 850 :: SAL_LIQ_E
Despesas:Salários $ 1000 :: SAL_BRUTO_E
Passivo:Tributo 1 $ 100 :: TRIBUTO1_E
Passivo:Tributo 2 $ 50 :: TRIBUTO2_E
Despesas:Tributo 1 $ 150 :: TRIBUTO1_C
Passivo:Tributo 1 $ 150 :: TRIBUTO1_C
Despesa:TRIBUTO 2 $ 100 :: TRIBUTO2_C
Passivo:Tributo 2 $ 100 :: TRIBUTO2_C

Pagando um empregado

Agora entre com a primeira transação dividida na conta de conta corrente para o empregado 1. A transação dividida deve ser parecer como esta:

Transação dividida para o empregado 1

Dica: quando estiver realizando o pagamento do empregado lance apenas o nome do empregado no campo Descrição. Se você decidir usar a funcionalidade de impressão de cheque do GNUCASH, o cheque é automaticamente feito para o empregado correto. Se você quer gravar outra informação além do nome do funcionário na transação, utilize a área de notas, disponível quando a visualização dividida está ativa.

Repita isto para o Segundo empregado o qual deixará o plano de contas parecido com isto:

Arvore de contas depois dos pagamentos dos salários.

Repeat this for the second employee, which leaves the account hierarchy looking like this:

Pagando o governo

As contas Passivo:Tributo 1 e Passivo:Tributo 2 continuam a manter o quanto se deve pagar para os órgãos do governo, responsáveis por cada taxa. Quando for a hora de pagar estes órgãos, faça a transação a partir da conta Ativos:Conta Corrente para as contas de Passivo. Lembrando que nenhuma conta de despesa está envolvida agora. E janela principal das contas deverá se parecer como este exemplo:

Contas depois de pagar o governo.

GNUCASH – Contas a Pagar (1 de 2)

As Contas a Pagar se referem a contabilização de produtos ou serviços os quais uma empresa comprou e precisa ainda pagar.

Conceitos Básicos

Os artigos que tratam de contas a pagar focam nestes termos que contabilizam produtos e serviços comprados que devem ter os respectivos pagamentos agendados.

Configuração Inicial

Da mesma forma que abordamos as contas a receber, duas coisas preliminares devem ser feitas para configurar o GNUCASH de modo que o permita manipular as contas a pagar para uma empresa. São elas:

Configuração das Contas

Há várias maneiras diferentes de criar uma hierarquia de contas para empresas. A seguir uma hierarquia básica para controle de Contas a Pagar:

  • Ativo
    • Banco
  • Passivo
    • Contas a Pagar
  • Despesas
    • Despesas de Contas a Pagar

Você precisa incluir contas adicionais de ativos e contas que representam despesas reais para fazer esta hierarquia útil. Os aspectos importantes desta hierarquia são que você precisa uma conta de despesa e uma conta de Contas a Pagar com o tipo Contas a Pagar.

Registro da Empresa

O registro da conta está descrito no artigo Contas a Receber (1 de 2) na seção de mesmo nome.

Componentes do Sistema

Existe um conjunto de funcionalidades no GNUCASH a qual permite a manipulação das Contas a Pagar. Analogamente ao conjunto das Contas a Receber temos componentes que formam o sistema de contas a pagar e vamos descrever um pouco destas características. Estes componentes estão disponíveis através do menu Empresa → Fornecedor. São eles:

  • Fornecedores: são pessoas ou empresas para as quais você compra produtos ou serviços com crédito.
  • Conta: representam as cobranças físicas dos fornecedores enviadas para requisitar o pagamento a partir de você. Uma cobrança com uma lista de itens das coisas que você comprou.
  • Serviços: é onde são cadastrados os serviços recebidos pelo fornecedor. Os serviços são mecanismos pelos quais você pode agrupar várias cobranças de um fornecedor específico.
  • Processar Pagamento: é onde você registra os pagamentos para um fornecedor para quem você deve dinheiro.

Fornecedor

São pessoas ou empresas que prestam serviços ou vendem algum bem para você. Os fornecedores devem ser cadastrados dentro do sistema de Contas a Pagar.

Novo Fornecedor

Para cadastrar um novo fornecedor acesso o menu Empresa → Fornecedor → Novo Fornecedor. Preencha as informações gerais. Vejamos uma lista das opções existentes:

  • Identificação – Nº do Fornecedor: pode ser qualquer número pelo qual você gostaria de se referir a ele. Você pode deixar vazio e um número será escolhido automaticamente.
  • Identificação – Nome da Empresa: nome da empresa do fornecedor.
  • Identificação – Ativo: informa se o fornecedor é ativo. Útil para quando se tem fornecedores passados que não são mais trabalhados.
  • Endereço de Pagamento – Nome: é o nome do contato da pessoa que recebe os pagamentos que você realiza.
  • Comentários: registros de quaisquer comentários adicionais sobre o fornecedor. Use-o para rastrear nomes de pessoas de contato dentro do fornecedor, por exemplo.
  • Informações de Pagamento – Moeda: especifica a moeda padrão para o pagamento.
  • Informações de Pagamento – Forma de Pagamento: especifica a forma de pagamento padrão para este fornecedor. Informações de pagamento devem ser pré-cadastradas em Empresa → Editor de Formas de Cobrança.
  • Informação de Cobrança Impostos Incluídos: isto especifica se impostos estão incluídos na cobrança deste fornecedor. Você pode escolher ‘Sim’, ‘Não’ ou ‘Use Global’.
    • Sim: significa que a tributação já está incluída nos montantes da cobrança.
    • Não: significa que não estão incluídos.
    • Use Global: significa que são usadas as configurações feitas pelos preferencias globais através do menu Editar → Preferências (no Mac OS X menu GNUCASH → Preferencias).
  • Informação de Pagamento – Tabela de Impostos: especifica a tabela de imposto padrão para ser aplicada às contas vindas dos fornecedores. Taxas de impostos devem ser cadastradas no menu Empresas → Tabela de Imposto de Venda.

Janela de cadastro de Novo Fornecedor.

Localizar e Editar

A funcionalidade de localizar e editar Fornecedores é semelhante àquela descrita no artigo Contas a Receber (1 de 2). Para maiores informações por favor consulte a seção de mesmo nome.

GNUCASH – Contas a Receber (2 de 2)

Faturas

Uma fatura é um documento que você envia para um cliente a fim de requisitar o pagamento referente aos produtos ou serviços prestados. O GNUCASH pode gerar e rastrear faturas.

Nova

Para mandar uma fatura a um cliente você precisa primeiro criar uma. Para criar uma fatura acesse o menu Empresa → Cliente → Nova Fatura. O formulário de nova fatura deve ser preenchido apropriadamente:

  • Informação da fatura – número da fatura: é o número de identificação desta fatura. Este é o número interno para esta fatura. Se você deixar o campo em branco um número de fatura será gerado automaticamente.
  • Informação da fatura – data de abertura: a data que esta fatura foi criada.
  • Informação de cobrança – cliente: o cliente o qual recebe esta fatura. Se você lembrar o nome da empresa, escreva-o no campo, no entanto se você não lembra pode procurar com a ferramenta de busca (conforme vimos no artigo anterior).
  • Informação de cobrança – Projeto (opcional): associa a nova fatura com um serviço do cliente. Se você lembrar o nome do serviço lançado no formulário de novo serviço, inicie digitando o campo que o GNUCASH irá auto completar para você. Senão, pressione o botão Selecionar para acessar a janela de busca. Destaque o serviço que você está procurando com um clique no resultado da busca e pressione o botão Selecionar.
  • Informação de cobrança – Id da cobrança: pode ser o número do CPF/CNPJ do cliente ou outra informação de referencia que identifique o cliente. Você deve usar para identificar as faturas para este cliente (e serviço, se você tem algum).
  • Informação de cobrança – Formas de Pagamento: são as formas de pagamentos para esta cobrança. Uma lista de formas cadastradas estará disponível dentro deste campo. Se você especificar um valor padrão para o cliente selecionado, este campo será iniciado com o padrão.

Imagem do formulário de criação de uma nova fatura.

Quando você clica em OK, com todos os campos propriamente preenchidos, a janela de Editar Fatura se abre.

Editar

A partir da janela de edição de faturas você pode lançar uma lista de itens das coisas vendidas nesta fatura, de maneira similar de como os registros de contas funcionam.

Janela de edição de faturas.

Existem 15 colunas na área de lançamentos da Fatura:

  • Data: a data que o item foi vendido.
  • Faturado? – o X significa que o item está anexado e contido nesta fatura. O campo vazio que não está anexado nesta fatura. O item é anexado por você quando você procede para a próxima linha.
  • Descrição (opcional): é como o item ou serviço é chamado.
  • Ação (opcional) – é um campo definido pelo usuário. Você pode adicionar informação de Centro de Custo aqui ou usar uma das três Ações predefinidas: Hora, Material ou Projeto.
  • Conta Receita– selecione qual conta de receita é creditada com esta receita.
  • Quantidade– registre quantos itens você vendeu.
  • Preço Unitário– é o preço unitário do item vendido.
  • Tipo de Desconto– é o tipo do desconto:
    • $ – significa que será aplicado um valor monetário para o desconto.
    • % – significa que será aplicado um valor percentual para o desconto, em relação ao preço do item.

    Você pode clicar no campo para alternar entre os tipos de descontos.

  • Como descontar – o desconto pode ser computado da seguinte forma:
    • > – significa que o desconto é aplicado depois do tributo.
    • < – significa que o desconto é aplicado antes do tributo.
    • = – significa que tanto o desconto quanto o tributo incidem no valor antes do imposto.

    Você pode clicar no campo para alterar o valor.

  • Desconto (opcional) – é o total do desconto, em unidades monetárias ou percentual, dependendo do Tipo do Desconto. Você pode deixar em brando se não houver desconto. Qualquer desconto padrão especificado para o cliente será automaticamente lançado para cada novo item.
  • Tributável? – o tem é tributável? O ‘X’ significa que sim, o campo vazio significa que não. Você pode clicar no campo para alternar este valor.
  • Impostos Incluídos? – a taxa de imposto já foi incluída no preço unitário? Um ‘X’ significa que sim. Um campo vazio significa não. Por exemplo, se existe um item de $100 com um imposto de 5% então:
    • Se o campo Imposto Incluído está vazio, então o subtotal = $100 e o tributo é $5.
    • Se o campo Impostos Incluído está com um ‘X’ então o subtotal = $95,23 e o tributo é $4,77. Os cálculos são: Subtotal = Total / (1+tributo) e Tributo=Total – Subtotal.
  • Tabela de Impostos (opcional) – existe um menu pop-up de todas as tabelas de impostos disponíveis. Se você define o item tributável, então esta tabela será usada para o cálculo o montante da taxa. A tabela de impostos determina os percentuais de tributos que as contas para as quais serão incididos.
  • Subtotal (não editável) – é o valor calculado para este item (menos impostos)
  • Impostos (não editável) – é o imposto calculado para este item.

Quando você terminar o lançamento dos itens, você pode publicar e imprimir a fatura.

Enviar Fatura

Quando você conclui a edição de uma fatura e está pronta para ser impressa, você deve publicá-la. A fatura não tem que ser publicada imediatamente. De fato, você deveria apenas publicar uma fatura quando estiver pronta para ser impressa. O envio de uma fatura coloca as transações de contas a receber na respectiva conta.

A janela para envio de fatura aparece e solicita o lançamento de informações.

Janela de envio de fatura.

  • Data de submissão – especifica a data para as transações lançadas na conta de contas a receber. Por padrão é a data de criação da fatura.
  • Data de pagamento – é a data esperada para o pagamento da fatura.
    • Se você especificar a forma de pagamento quando criar uma fatura, a data é calculada de acordo com a forma de pagamento selecionada e o campo de lançamento fica indiferente.
    • Se você não especificou a forma de pagamento, lance a data esperada para o pagamento.
  • Descrição – é uma descrição arbitrária. Quando transações de faturamento são lançadas nas contas referentes a contas a receber, esta descrição é lançada no campo memo das transações.
  • Submeter para a Conta – selecione a conta de contas a receber na qual as transações da fatura serão lançadas. Você pode selecionar a conta a partir da lista de contas do tipo Contas a Receber existente.
  • Acumular divisões – determina se os itens da fatura transferem para a mesma conta são lançados individualmente ou são lançados individualmente.

Pesquisa

Para localizar uma fatura existente, use a aplicação encontrada no menu Empresa → Cliente → Localizar Fatura. A partir do resultado da pesquisa você pode selecionar uma fatura e editar ou visualizar.

Nota: antes de poder editar uma fatura submetida você precisara retirar a submissão dela.

Um dos objetivos do sistema de Contas a Receber do GNUCASH é permitir diferentes maneiras de obter a mesma situação.

  • Você pode pesquisar primeiro por um cliente e então suas faturas
  • Você pode pesquisar por faturas pelo número ou pelo nome da empresa
  • Você pode listar faturas relacionadas com um serviço ao cliente.

Impressão

Depois de submeter uma fatura você deveria imprimir e enviá-la para seu cliente. Para imprimir uma fatura use o menu Arquivo → Imprimir Fatura, com a aba da fatura aberta.

Um exempli de fatura padrão do GNUCASH é mostrado a seguir.

Saída da impressão da fatura.

Nota: você pode modificar a aparência da fatura, isto é, adicionar o logo da companhia, etc. As faturas por padrão possuem layout um tanto pobre que pode ser melhorado. Mais detalhes sobre esta funcionalidade serão discutidos em artigos futuros.

As faturas podem também ser impressas a partir da janela principal, selecionando o menu Relatórios → Empresa → Fatura para Impressão.

Atribuindo um número inicial de fatura

Não existe uma forma fácil de alterar o número inicial das faturas. O GNUCASH inicia com o número 1 e incrementa a partir daqui. Você pode digitar manualmente o número da fatura na caixa de texto a cada vez que criar uma fatura, mas cedo ou tarde você pode duplicar estes números.

É possível alterar o número inicial das faturas se isso for importante para você. Não existe uma interface de usuário para a alteração. Você deve editar um XML em um editor. A entrada relevante é na seção “counters“, próxima do início do arquivo. O arquivo deve ser reaberto depois de editar.

Cadastro de Serviços

O cadastro de serviços é usado para agrupar múltiplas faturas para o mesmo cliente. O uso do cadastro de serviços é opcional. A funcionalidade é útil quanto se tem muitos serviços para o mesmo cliente e se gostaria de visualizar todas as faturas relacionadas com um serviço específico.

Para usar o cadastro de serviços você deve criar usando a aplicação Empresas → Cliente → Novo Serviço. Você verá o formulário para Novo Serviço. Os campos editáveis são:

  • Informação do Projeto – Número do Serviço (opcional): lance o número para este serviço. Se deixado em branco, um número será escolhido por você.
  • Informação do Projeto – Nome do Serviço: o nome que se deseja atribuir para o novo serviço.
  • Informação do Dono – Cliente: o cliente para o qual o serviço será criado. Se você se lembra do nome do cliente, inicie digitando neste campo e o GNUCASH tentará auto completar para você. Senão, pressione Selecionar… para acessar a janela de pesquisa de cliente.
  • Informação do Dono – ID de Cobrança: a referência do cliente para este serviço (por exemplo, o número do pedido de compra). Este número de identificação da cobrança é requerido para relacionar as suas faturas com os pedidos dele. O ID da Cobrança lançado é usado para determinar a identificação de cobrança para novas faturas associadas com este serviço.
  • Projeto Ativo: alterna se este serviço está ativo ou não. É útil quando você tem muitos serviços inativos. Facilita a pesquisa apenas entre serviços que estão marcados como ativo.

Novo Serviço.

Para editar um Serviço existente, use a aplicação encontrada em Empresa → Cliente → Localizar Serviço. Selecione o serviço desejado no resultado da pesquisa e clique no botão Visualizar/Editar Serviço.

Para selecionar a partir de faturas associadas com um dado trabalho, use a aplicação encontrada em Empresa → Cliente → Localizar Serviço. Selecione o serviço desejado nos resultados das pesquisas e clique no botão Visualizar Faturas. Uma janela listando faturas associadas com o este serviços irá aparecer. Selecione uma fatura e clique no botão Visualizar Fatura para abrir um editor de fatura na janela principal da aplicação.

Processar Pagamento

Eventualmente você receberá pagamentos a partir de seus clientes pelas faturas pendentes. Para registrar estes pagamentos use a aplicação de ‘Processar de Pagamentos’ encontrada em Empresa → Cliente → Processar Pagamento.

A aplicação de Processar Pagamento consiste de:

  • Informação de Pagamento – Cliente: o cliente que paga você. Se você lembrar o nome do cliente comece digitando que o GNUCASH tentará auto completar por você. Senão pressione o botão Selecionar… para acessar a janela de Localizar Cliente.
  • Informação de Pagamento – Fatura: a fatura pela qual o pagamento foi recebido. Este campo tem a função de auto completar. Senão pressione o botão Selecionar… para abrir a janela de Localizar Fatura.
  • Informação de Pagamento – Data: a data que foi recebido o pagamento.
  • Informação de Pagamento – Quantia: o montante de dinheiro recebido.
  • Informação de Pagamento – Nº: o número de controle da transação (ou número do cheque).
  • Informação de Pagamento – Comentário: qualquer comentário sobre este pagamento.
  • Enviar Para: é a conta de Contas a Receber para a qual será enviada esta transação.
  • Conta de Transferência: a conta na qual o dinheiro será depositado (uma conta corrente, por exemplo).

Janela de Processar Pagamento.

GNUCASH – Investimentos (1 de 2)

Neste artigo trataremos do controle de investimentos diversos usando o GNUCASH. Serão apresentados alguns conceitos básicos e exemplos práticos sobre o tema. Conforme podemos observar no título do artigo, vamos dividir em duas partes por existir um grande volume de informações para abordar. Boa leitura.

Conceitos Básicos

Um investimento é algo q você adquire com a intensão de gerar receitas ou o qual você espera vender no futuro por um valor maior daquele que você pagou. Usando esta definição, algumas coisas devem ser consideradas como investimentos: a casa que você mora, uma pintura valiosa, ações de empresas de capital aberto, suas contas de investimento no banco ou um certificado de depósito. Estes muitos tipos de investimentos serão discutidos nos próximos artigos.

Terminologia

Antes de discutirmos os investimentos especificamente, será útil apresentar um glossário com terminologia de investimentos. Os termos apresentados a seguir representam alguns dos conceitos básicos dos investimentos. É uma boa ideia se familiarizar com estes termos, ou pelo menos, usar esta lista como referencia para as próximas seções.

  • Ganhos de capital: é a diferença entre os preços de compra e de venda de um investimento. Se o preço de venda é menor que o preço de compra então chamamos de perda de capital. Também conhecido como ganho/perda realizada (percebida).
  • Comissão: é a taxa paga para um agente comprar ou vender valores mobiliários.
  • Ações ordinárias: é um título que representa certa fração da propriedade de uma empresa. Isto é o que você compra quando você compra ações de uma companhia no mercado aberto. Também conhecido como bens de capital.
  • Composição: é o conceito de que os juros reinvestidos. Juros sobre juros. Isto é muitas vezes referido como juros compostos.
  • Dividendos: são pagamentos em dinheiro que uma empresa faz aos acionistas. O montante deste pagamento é geralmente determinado como alguma parte dos lucros da companhia. Note que nem todas as ações ordinárias pagam os dividendos.
  • Ações: são investimentos nos quais o investidor vem a se tornar proprietário de parte ou completamente de alguma coisa. Aqui se incluem ações ordinárias numa companhia.
  • Juros: é aquilo que o mutuário para quem emprestou para usar o dinheiro emprestado. Normalmente, é expresso em termos de porcentagem por ano do montante principal. Por exemplo, uma conta poupança com juros de 6% (você é aquele que empresta e o banco é o mutuário) irá pagar $6 para cada $100 que se deixa guardado por um ano.
  • Liquidez: é a medida de quão facilmente você converte em dinheiro um investimento. Dinheiro em uma conta poupança é muito liquido, enquanto que dinheiro investido em uma casa tem baixa liquidez porque leva tempo para vender uma casa.
  • Principal: é o montante de dinheiro original investido ou emprestado.
  • Ganhos ou perdas realizadas versus não realizados: Perda ou ganho não realizado ocorre quando há uma alteração no preço de um ativo. Você realiza o ganho ou perda quando você vende um ativo. Veja também ganha/perda de capital.
  • Retorno: é a receita total mais os ganhos ou perdas de capital em um investimento. Veja também rendimentos.
  • Risco: é a probabilidade que o retorno sobre o investimento difere em relação ao que era esperado. Investimentos são frequentemente agrupados em uma escala que vai de baixo risco (contas poupança, títulos do governo) a alto risco (ações ordinárias, títulos podres). Em linhas gerais, quanto maior o risco do investimento, maior o retorno possível.
  • Acionista: é uma pessoa que mantém ações ordinárias em uma companhia.
  • Fracionamento das ações: ocorre quando uma empresa oferece a emissão de algum múltiplo adicional de ações para cada ação existente. Por exemplo, um fracionamento de ações “2 por 1” significa que se você possui 100 partes de uma ação, você receberá um adicional de 100 sem nenhum custo para você. O preço unitário das ações será ajustado para que não haja mudança líquida no valor, portanto, neste exemplo, o preço por ação será reduzido para metade.
  • Avaliação: é o processo de determinação do valor de mercado ou o preço que o investimento seria vendido em um “prazo razoável”.
  • Rendimentos: é uma medida da quantidade de dinheiro que você ganha em um investimento (isto é, o quanto de renda que você recebe do investimento). Normalmente, isso é relatado como uma percentagem do montante principal. Rendimento não inclui os ganhos ou perda de capital (veja Retorno). Por exemplo: Uma ação que é vendida por $100 e dá $2 em dividendos por ano tem um rendimento de 2%.

Tipos de investimentos

A seguir serão apresentados alguns dos vários tipos de investimentos e um exemplo de cada tipo.

  • Conta remunerada ou instrumento

    Este tipo de investimentos geralmente permite acesso imediato ao dinheiro e, tipicamente, paga juros mensalmente baseados no montante de dinheiro que está depositado. Exemplos são contas de títulos de capitalização. Este é um investimento de muito baixo risco.

    Às vezes, um investimento com juros é de tempo determinado. Este tipo de investimento requer que você comprometa o seu dinheiro investido durante um determinado período de tempo para que você receba a taxa de retorno definida. Normalmente, quanto mais você investir, maior as taxas de juros. Se você retirar o seu dinheiro antes da data de vencimento, normalmente você vai ter que pagar uma penalidade. Exemplos são certificados de depósito ou alguns títulos do governo.

  • Ações e Fundos Mútuos

    Este é um investimento que você faz em uma empresa o qual você efetivamente se torna um proprietário de parte. Normalmente não há tempo de bloqueio da ação de capital aberto, no entanto, pode haver mudanças nas taxas de imposto que você paga sobre ganhos de capital, dependendo de quanto tempo você possuir a ação. Assim, as ações possuem, normalmente, bastante liquidez. Você pode acessar o seu dinheiro de forma relativamente rápida. Este investimento tem um risco maior, pois você não tem qualquer garantia sobre o preço futuro de uma ação.

    Um fundo mútuo é um mecanismo de investimento do grupo no qual você pode comprar em muitas ações simultaneamente. Por exemplo, um fundo baseado no índice “S & P 500” é um fundo que compra todas as 500 ações listadas no índice Standard and Poors. Quando você compra uma parte desse fundo, você está na verdade comprando uma pequena quantidade de cada uma das 500 ações previstas dentro do fundo. Os fundos mútuos são tratados exatamente como uma única ação, tanto para fins fiscais e contábeis.

  • Ativos Fixos

    Bens que aumentam de valor ao longo do tempo são outra forma de investimento. Os exemplos incluem uma casa, um lote de terra, ou uma pintura valiosa. Este tipo de investimento é muito difícil determinar o valor até que você o venda. As implicações fiscais de venda desses itens são variadas, dependendo do item. Por exemplo, você pode ter benefícios fiscais de venda de uma casa se for sua residência principal, mas pode não receber este benefício fiscal em uma pintura cara.

    Investimentos em ativos fixos serão discutidos nos próximos artigos que trarão informações especificas de ganhos de capitão e depreciação. Normalmente, não há muito a fazer em termos de contabilização de investimentos em ativos fixos, exceto a gravação das transações da compra e venda.

Configurando as contas

Para configurar no GNUCASH as contas de investimentos você pode tanto usar a hierarquia de contas predefinida ou criar a sua própria. O mínimo que você precisa para rastrear os investimentos é configurar uma conta de ativo para cada tipo de investimentos que você possui. Entretanto como vimos em artigos anteriores é geralmente mais lógico criar uma hierarquia estruturada de contas, agrupando os investimentos relacionados. Por exemplo, você pode querer agrupar todas as contas de ações agrupadas sob uma conta com o nome da corretora que você contratou para comprar os papéis.

Independentemente de como você configurar a sua hierarquia de contas, lembre-se que você sempre pode mover contas depois (sem perder o trabalho que você colocou dentro deles), se sua hierarquia de contas inicial não for perfeita.

Contas predefinidas

Para usar a hierarquia das contas de investimentos predefinidas você deve criar um novo arquivo ou mesmo inserir uma nova hierarquia em um arquivo já existente. Neste exemplo trabalharemos com a criação de um novo arquivo GNUCASH. No menu arquivo, clique em Novo Arquivo para abrir a janela do assistente de Configuração de Nova Hierarquia de Contas. Escolha a moeda que quer trabalhar e então, na lista de categorias de contas, marque a opção Conta de Investimentos (combinado com algumas outras que você esteja interessado). Assumindo que você apenas a hierarquia de contas de investimentos ficou selecionada, temos as contas conforme podemos ver:

Esta é uma imagem da tela da guia Contas após criar um novo arquivo e selecionar apenas as contas de investimento padrão.

Você provavelmente, ao menos, desejará adicionar uma conta bancária para os Ativos e provavelmente uma Líquido:Saldos Iniciais para abertura de balanço, como fizemos nos artigos anteriores. Não se esqueça de salvar o novo arquivo de contas com um nome relevante!

Exemplo de contas personalizadas

Você também pode querer configurar manualmente uma própria hierarquia de contas de investimento. O exemplo a seguir mostra uma hierarquia um pouco mais complicada para rastreamento dos investimentos, a qual tem uma vantagem que são os grupos para todos os investimentos diferentes sob uma corretora de ações. Desta forma, fica mais fácil comparar os extratos recebidos das corretoras com as contas contidas no GNUCASH.

  • Ativos
    • Investimentos
      • Contas das corretoras
        • I*Trade
          • Ações
            • ACME Corp
          • Dinheiro de fundos de mercado
            • Fundo Municipal I*Trade
          • Dinheiro
        • Minha Corretora de Ações
          • Dinheiro de fundos de mercado
            • Fundo de Bens Ativos
          • Títulos do Governo
            • Título XXX
            • Nota do Tesouro Nacional
          • Fundos Mútuos
            • Fundo A
            • Fundo B
          • Dinheiro
  • Receitas
    • Investimentos
      • Corretoras
        • Ganhos de capital
          • I*Trade
          • Minha Corretora de Ações
        • Dividendos
          • I*Trade
            • Tributável
            • Não tributável
          • Minha Corretora de Ações
            • Tributável
            • Não tributável
        • Juros recebidos
          • I*Trade
            • Tributável
            • Não tributável
          • Minha Corretora de Ações
            • Tributável
            • Não tributável
  • Despesas
    • Despesas com investimentos
      • Comissões
        • I*Trade
        • Minha Corretora de Ações
      • Taxas de Gestão
        • I*Trade
        • Minha Corretora de Ações

Definitivamente não existe uma única maneira de configurar a hierarquia de contas de investimentos.

Contas remuneradas com juros

Investimentos os quais têm uma taxa de juros fixa ou variável são uma das formas mais simples e comum de investimentos disponíveis. Investimentos com juros incluem a sua conta bancária, um certificado de depósito bancário (CDB) ou qualquer outro tipo de investimento no qual você recebe juros a partir do montante principal. Esta seção irá descrever como lidar com esses tipos de investimentos no GNUCASH.

Configuração das contas

Quando você contrata um investimento remunerado com juros você deve criar uma conta de ativos para gravar a aquisição do investimento, uma conta de receita para gravar os lucros e uma conta de despesa para registrar as taxas de manutenção. A seguir um exemplo de layout de contas no qual você tem uma conta de investimentos e um certificado de depósito bancário.

  • Ativos
    • Banco ABC
      • CDB
      • Investimento
  • Despesas
    • Banco ABC
      • Taxas
  • Receita
    • Banco ABC
      • Juros

Como de costume, esta hierarquia de contas é apresentada simplesmente como exemplo, você deve criar suas contas de uma forma que melhor correspondam à sua situação real.

Exemplo

Agora vamos preencher essas contas com números reais. Vamos supor que você começa com $10.000 em sua conta poupança, que paga juros de 1% e você adquire um certificado de depósito no valor de $5.000, com vencimento seis meses e um rendimento de 2%. Claramente, é muito melhor para manter seu dinheiro no CDB do que na conta poupança. Após a compra inicial, suas contas deve ser algo como isto:

Esta imagem mostra o plano de contas depois dos lançamentos em um investimento de CDB.

Agora, durante o tempo de seis meses, você recebeu mensalmente os extratos bancários, os quais descrevem a atividade de sua conta. No exemplo, nos não faremos qualquer coisa com o dinheiro neste banco, então a única atividade é a receita dos juros e as taxas de serviços. As taxas de serviços mensais são de $2. Depois de seis meses a janela de registros da conta do CDB deve se parecer como:

Está é a imagem da janela de registros depois de seis meses.

E a janela principal do GNUCASH:

Configurando uma carteira de ações

Agora que está criada uma hierarquia de contas, mostraremos como criar e lançar as contas para controle de uma carteira de ações. Depois desta configuração inicial da sua carteira, você pode ter algumas ações já compradas antes de utilizar o GNUCASH. Para estas ações, siga as na seção abaixo denominada “Lançando Ações Existentes”. Se você acabou de comprar as suas ações, consulte a seção chamada “Comprando novas ações”.

Contas para ações e fundos mútuos

Será mostrado aqui como adicionar contas para o rastreamento de ações e fundos mútuos. Assumiremos que está sendo adotada a configuração básica de contas, mostrada anteriormente, porém os princípios podem ser aplicados para qualquer hierarquia de contas.

Dentro de uma conta de Ativos você deve ter uma subconta chamada Ações. Crie esta subconta escolhendo o tipo Ação. As subcontas abaixo desta serão todas deste mesmo tipo. Cada ação terá uma própria conta. O nome destas contas geralmente se dá com a respectiva abreviação, mas pode ser qualquer outro que permaneça claro o entendimento. Então, por exemplo, você poderia nomear as contas AMZN, IBM e NST para as ações Amazon, IBM e NSTAR respectivamente.

  • Ativos
    • Investimentos
      • Conta na Corretora
        • Obrigações
        • Fundos de Investimento
        • Índice de Mercado
        • Ações
          • AMZN
          • IBM
          • NST

    Nota: esta hierarquia é predefinida na opção Investimentos do Assistente. Se você deseja também rastrear as receitas (dividendos/juros/ganhos de capital) você precisa criar uma conta para cada ação que paga dividendos e juros que você possui. Receitas:Dividendos:SÍMBOLO_AÇÃO, Receitas:Ganhos de Capital (Curto Prazo):SÍMBOLO_AÇÃO, Receitas:Ganhos de Capital (Longo Prazo):SÍMBOLO_AÇÃO e Receitas:Juros:SÍMBOLO_AÇÃO.

Exemplo de conta de ação

Como exemplo, vamos assumir que você atualmente possui 100 ações da Amazon. Primeiro crie a conta AMZN selecionando a conta Ações e clicando em novo na barra de ferramentas.

Janela nova Conta.

Como já vimos em artigos anteriores, esta janela permite a criação de uma nova conta. No entanto temos que dar atenção especial para o campo Título/moeda. É necessário criar um novo título como uma nova commodity. Clique no botão Selecionar…

A caixa de diálogo Selecionar/título abrirá. Devemos trocar o título/moeda do padrão (moeda padra utilizada) para a ação específica.

Esta caixa possui o campo tipo, altere o tipo do padrão para onde é realizada a negociação (neste exemplo NASDAQ). Clique no botão Novo para abrir a janela de Novo título.

Janela para selecionar títulos. A janela para criação de novo título se abrirá e permitirá o lançamento das informações apropriadas para a ação.

  • Nome completo: preencha com “Amazon.com Inc.”.
  • Símbolo/abreviatura: “AMZN”. O símbolo é o identificador da ação usada pela fonte de informações. Note que diferentes símbolos serão utilizados em diferentes fontes para a mesma ação, por exemplo, Ericsson na Stockholm Exchange é ERIC-B quanto que no Yahoo é ERRICB.ST
  • Tipo: deve já estar com o valor NASDAQ
  • ISIN, CUSIP ou outro código: é o campo no qual você pode lançar algum outro código numérico ou texto (deixe vazio neste exemplo).
  • Fração negociada: deve ser ajustado para a menor fração que pode ser negociado este título, geralmente 1/100 ou 1/10000.
  • A caixa “Obter Cotações na Internet”, o tipo de fonte de cotação e o fuso horário devem estar selecionados para definir as fontes para atualizar os preços on-line.

    Se a caixa “Obter Cotações na Internet” não estão disponíveis é porque o pacote Finance::Quote não está instalado.

A conta para o controle da ação Amazon está criada. A janela principal deve estar algo próximo a isto (note que existem algumas contas extras aqui, uma conta de banco e uma conta de Líquido):

Abra a janela de registros da conta AMZN (com um duplo clique). Aqui você vê a visualização Commodity. Ela fornece a você uma visão geral das transações desta commodity, incluindo no número de unidades (numero de partes para uma ação ou fundo de investimento) comprado ou vendido, o preço por unidade e o montante total. Obviamente, ainda não compramos ou vendemos qualquer parte de AMZN, então o registro não deve conter qualquer transação.

Comprando Ações

Lançando ações existentes

Para registrar as 100 partes iniciais desta ação que você comprou previamente na primeira linha de transação, lance a data de compra (por exemplo 01/jan/2001), uma descrição (p. ex., Compra Inicial), transferência a partir de Líquido:Saldos Iniciais, partes (100), a preço ($20). Você não precisa preencher a coluna Compra, será calculado para você. Para simplificar o exemplo, assumimos que não há comissão nesta transação. A visualização da commodity AMZN deve se parecer como esta:

Esta imagem mostra o registro da conta AMZN da transação de compra.

Note que o saldo é em unidades da commodity (AMZN) e não em moeda corrente. Então, o saldo é 100 AMZN ao invés de $2000. Isto é como deve ser.

Comprando novas ações

A única diferença entre a configuração de compra de novas ações em relação à configuração de ações compradas previamente é que a transferência de dinheiro usado para comprar as ações vem a partir de Ativos:Banco ABC ao invés de Líquido:Saldos Iniciais.

Agora você irá comprar $5000 em ações da IBM com uma comissão de $100. O primeiro passo será criar uma conta da ação para IBM. A conta já existente Despesas:Comissões será usada. Se você deseja rastrear as comissões para uma ação individual, uma conta adicional será necessária.

Lance as seguintes informações. Data (03/jan/2005), descrição (Compra inicial), Ações Totais (será pulado, calculado automaticamente), preço ($96,60), compra ($5000). Na próxima linha da transação divida será uma transferência de Despesas:Comissões e preencha a Compra com ($100). A terceira linha será uma transferência do Ativos:Banco ABC:Conta Investimento com o valor $5100 para equilibrar a transação.